historial

orquestra

Desde 1925

A “Banda 12 de Abril” foi fundada em Abril de 1925 por um pequeno grupo de músicos amadores, orientados por Ludgero Pinheiro, o qual viria a ser o seu primeiro maestro.

A associação completou em Abril, 92 anos de actividade ininterrupta, tendo feito uma transformação profunda nas suas estruturas a partir de 1980. Foi nesta data que contratou pela primeira vez um músico profissional para a Direcção Artística. Tratava-se de João Duarte Neves, então Sargento da Banda da Guarda Nacional Republicana.

Foi também nesta data que se construiu o edifício da sede social, com 900 m2 divididos por 2 pisos, que actualmente compreende a mediateca Amilcar Morais, salas para secretariado e direcção, a sala de ensaio da orquestra e duas salas para espectáculos e convívios, onde habitualmente se desenvolve toda a vida social da associação.

A Escola da Banda, agora “Oficina de Orquestra”, teve como primeiro director o Maestro António Gomes, exímio executante de oboé, nomeadamente, na Orquestra da RDP. Actualmente, e sob orientação do Coordenador Luis Nogueira, integra cerca de 50 alunos a partir dos 6 anos que aprendem de forma gratuita as primeiras lições de música e instrumentos como flauta transversal, clarinete, saxofone, trompete, trombone, trompa, bombardino, tuba e percussão.

clave
arruada

A “Oficina de Orquestra” funciona desde 2006 num edifício contíguo à sede, dedicado e especificamente preparado para o efeito.
Passaram pela Direcção Artística desta Banda o Comandante José Araújo Pereira, ex-Maestro da Banda da Armada Portuguesa e o Capitão Amilcar Morais, autor de inúmeras composições que fazem parte do reportório da “12 de Abril”.

Actualmente a Direcção Artística da “12 de Abril” pertence ao Maestro Pedro Neves e ao Maestro Luis Cardoso.
A “Orquestra Filarmónica 12 de Abril” sucedeu à Banda com o mesmo nome para evitar certas confusões com as “bandas” (pequenos agrupamentos) que proliferam no nosso país e conta actualmente com cerca de 70 executantes.

Do seu vasto reportório fazem parte inúmeras obras clássicas e contemporâneas de todos os períodos e géneros musicais.
Da sua actividade musical destacam-se as inúmeras participações em festas, romarias, concertos, certames musicais e actuações de grande produção com cantores de renome como Luís Portugal (Jáfumega), Jorge Palma, Sérgio Godinho e Manuela Azevedo.
A nível internacional destacam-se 3 digressões ao Brasil (1999, 2001 e 2003), 1 aos Estados Unidos da América (2000) e 1 à Suíça (2015) a convite das Comunidades Portuguesas aí radicadas. Tem actuado também com regularidade em diversas zonas da Galiza – Espanha.

VER & OUVIR

Fotografias

Veja alguns dos nossos bons momentos.

Ouvir

Conheça a nossa discografia.

gestorhistorial